O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, editou uma portaria que proíbe os agentes da corporação de compartilhar ou divulgar "fake news" nas redes sociais. A norma proíbe que os policiais usem símbolos e brasões da Polícia em seus perfis na internet ou se registrem em redes sociais usando seus títulos funcionais.

Também está proibido o uso de e-mails oficiais da polícia nos cadastros em redes sociais. Na prática, os perfis de policiais não podem mais identificá-los com as palavras delegado, agente ou policial.

A regra proíbe ainda ao policial civil “emitir ou compartilhar opinião que caracterize ou demonstre tolerância a discurso discriminatório ou de ódio, ou que expressem preconceitos de qualquer natureza”.

Os agentes públicos também não podem mais “expressar opinião que atente contra os valores consagrados pela Constituição Federal de 1988, em especial, do Estado Democrático de Direito, seus fundamentos e dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil”, conforme o regramento.

A portaria entrou em vigor ontem. Segundo apurou o Valor PRO, serviço em tempo real do Valor, ela é resultado de uma série de reuniões do governador João Doria (PSDB) com os comandantes da Segurança Pública no Estado. Doria tem sido alvo de ataques na internet por perfis identificados com o bolsonarismo. Um autor de ameaça a Doria e seus familiares foi preso no mês passado. (Valor Econômico)

Últimas Notícias : Pages : FM Integração